DICIONARIOS DOS COROINHAS E ACOLITOS

 

Acólito: é o ministério litúrgico que serve o presidente e o altar.

 

Alfaias: São todos os objetos utilizados no culto, como por exemplo, os paramentos litúrgicos, as toalhas, os ornamentos etc.

 

Almotaque: Pequena almofada que é colocada sobre o tapete, para o celebrante apoiar a cabeça por ocasião da cerimônia da Paixão ou no momento da ladainha de todos os santos, por ocasião de ordenação diaconal, sacerdotal ou votos que os religiosos fazem; pequena almofada que é colocada sobre o altar, para apoiar o missal.

 

Altar: O altar simboliza o próprio Cristo. Durante a celebração eucarística é o ponto de referência da celebração.

 

Alva: é a veste branca que cobre todo o corpo e é comum a todos os ministros da celebração litúrgica.

 

Ambão: ou mesa da Palavra. Local de onde se proclama a Palavra de Deus.

 

Âmbula, Cibório ou Píxide: É a vasilha que contém as partículas (hóstias). É semelhante ao cálice, mas fechada com uma tampa justa. Após a missa a âmbula com hóstias consagradas fica no sacrário.

 

Aspersório: Recipiente de metal na forma de um pequeno bastão, para aspergir água benta sobre o povo. É mergulhado na caldeirinha para pegar a água, ou esta é depositada dentro dele, se o mesmo possuir pequenos furos para sair a água ao ser agitado sobre os fiéis.

 

Aspersório-fixo: Pequeno pote que fica no fundo das igrejas, para os fiéis se benzerem com água benta.

 

Átrio: Espaço entre a porta principal e a porta de acesso à nave.

 

Baculífero: Acólito que é encarregado de “zelar” pelo báculo durante as Missas onde o Bispo se faz presente.

 

Báculo: É um bastão na forma de cajado, simbolizando que o Bispo é o pastor, representante de Jesus Cristo, o Bom Pastor.

 

Baldaquino: Espécie de dossel sustentado por colunas, que serve de cúpula ou coroa de um altar, trono, sólido ou leito; cobertura por cima do altar.

 

Barrete: Cobertura quadrangular para cabeça de clérigo.

 

Batina: Hábito eclesiástico do padre.

 

Batistério: Lugar da Igreja apropriado para a celebração do Batismo, onde se encontra a pia batismal. Documento que a Igreja fornece que comprova que o cristão foi batizado.

 

Bíblia: É o conjunto dos Livros Sagrados e é dividido em 2 partes: Antigo Testamento (que contém 46 livros e narra a história sagrada antes da vinda de Cristo) e o Novo Testamento (que contém 27 livros e narra a história a partir de Cristo).

 

Bispo: é o sucessor dos Apóstolos e o primeiro sacerdote numa diocese; sempre que está presente, é ele que preside às ações litúrgicas.

 

Caldeirinha: Vasilha onde se coloca a água benta para aspersão das pessoas e objetos.

 

Cálice: O cálice é uma espécie de taça, em geral feito de metal dourado ou prateado.

 

Capa de baculífero: É a capa que o acólito usa para segurar o báculo do bispo.

 

Capa de mitrífero: Capa usada pelo acólito que é responsável pela mitra e pelo solidéu do bispo.

 

Capa, Capa Pluvial ou Capa Magna: Capa longa usada pelo sacerdote sobre os ombros durante as procissões e bênção com o Santíssimo Sacramento.

 

Capela Batismal: é o mesmo que batistério.

 

Capífero: Acólito encarregado de “zelar” e colocar a capa-magna ou véu nos ombros do ministro ordenado, na hora da bênção com o Santíssimo.

 

Castiçais: Suporte para velas.

 

Casula: Veste sacerdotal igual a uma pequena capa que é usada sobre a túnica durante as missas. A cor varia de acordo com o tempo ou circunstância litúrgica: branca, verde, vermelha ou roxa.

 

Catecúmeno: Aquele que se prepara e se instrui para receber os sacramentos da iniciação cristã.

 

Cátedra: Cadeira presidencial da catedral, usada pelo bispo.

 

Catedral: é a igreja principal duma diocese, a igreja do bispo.

 

Ceriferários: são os acólitos que levam as velas nas procissões.

 

Cerimoniário: O clérigo que dirige as cerimônias litúrgicas.

 

Chave-sacra: Chave que abre o Sacrário.

 

Cíngulo: Cordão utilizado na cintura sobre a alva.

 

Círio Pascal: Vela grande que é usada na Vigília Pascal, durante o tempo pascal e nas cerimônias de batismo durante o ano. Simboliza Cristo ressuscitado, luz do mundo. 

 

Confessionário: é o lugar onde se celebra o sacramento da penitencia ou da reconciliação.

 

Corporal: É uma espécie de toalhinha quadrada branca, de linho, que vai no centro do altar. É dobrada em três partes, nos dois sentidos. Chama-se corporal porque sobre ela coloca-se a hóstia consagrada, que é o Corpo do Senhor, e o cálice com Seu Sangue nas espécies de pão e vinho.

 

Credência: Mesinha ao lado do altar para colocar os objetos usados na Missa e outras celebrações.

 

Cruciferário: Pessoa encarregada de levar a cruz numa procissão em qualquer celebração.

 

Crucifixo: Cruz com o crucificado.

 

Cruz Processional: A cruz que é carregada nas procissões que tem um cabo maior.

 

Dalmática: Roupa usada pelo Diácono sobre a túnica e a estola durante as celebrações.

 

Diácono: é um colaborador do bispo, e o primeiro de todos os que servem na liturgia. Ocupa o primeiro grau entre os ministros ordenados.

 

Espórtula: Dinheiro que é oferecido para manter as necessidades do culto. 

 

Estola: A estola é um paramento usado pelos ministros ordenados. Padres e bispos usam no sentido vertical simbolizando a força do alto e o poder sacerdotal. O diácono a usa atravessada no peito da esquerda para a direita, simbolizando o serviço. (lava-pés). 

 

Evangeliário: Livro que contém os Evangelhos. É conduzido na procissão de entrada e colocado sobre o altar, até o momento da proclamação quando é transportado em procissão até o ambão. 

 

Galhetas: São parecidas com duas jarrinhas, em geral de vidro. Numa está o vinho utilizado para a consagração e na outra está a água que serve para misturar com o vinho antes da consagração. 

 

Genuflexório: Banco ou local próprio para ajoelhar-se. 

 

Lavabo: gesto simbólico de purificação que o padre faz antes da consagração. Simboliza a purificação da comunidade, especialmente a do celebrante.

 

Hóstia: É o pão usado na Eucaristia. Trata-se de uma partícula de pão ázimo (sem fermento), que será consagrado na Missa. A palavra significa “vítima que será sacrificada”. A hóstia usada pelo celebrante é maior, para que todos possam vê-la na hora da elevação, após a consagração. Em alguns acontecimentos públicos, quando há fiéis muito distantes do altar, ela pode ser ainda bem maior, pelo mesmo motivo. 

 

Incenso: É uma resina de aroma suave extraída de várias espécies de árvores, na forma de pequenos grãos, que se queima na brasa que está no turíbulo durante algumas celebrações. A fumaça que surge e que sobe simboliza as orações de todos subindo a Deus. 

 

Incenso: É utilizado em missas solenes representando a proteção e purificação daquilo que está sendo usado na celebração.

 

Lecionário dominical: Livro que contém as leituras das missas de Domingo.

 

Lecionário semanal: Livro que contém as leituras das missas celebradas durante a semana.

 

Lecionário Santoral: Livro que contém a leitura das Missas próprias dos santos.

 

Librifero: Acólito encarregado de conduzir e apresentar os livros sagrados, usados durante as cerimônias litúrgicas.

 

Luneta: Objeto em forma de meia-lua usado para fixar a Hóstia grande dentro do ostensório. 

 

Livros Rituais: são os livros que contem as celebrações de alguns sacramentos (batismo, culto eucarístico fora da missa, penitencia, unção dos doentes, matrimonio), e os sacramentais (benção, exéquias, profissão religiosa, etc.)

 

Manustérgio: Pequena toalha de linho usada pelo celebrante e ministros da Eucaristia para enxugar as mãos.

 

Matraca: Objeto de latão ou madeira usado nas procissões de Sexta-feira Santa.

 

Matraqueiro: Acólito incumbido de tocar a matraca.

 

Missal: Livro usado pelo celebrante na missa, que contém todas as orações necessárias para cada dia, conforme as variações próprias dos tempos litúrgicos e do motivo da celebração.

 

Mitra: Insígnia que os bispos, arcebispos e cardeais arcebispos colocam na cabeça.

 

Mitreiro: Bandeja que o mitrífero segura para colocar a Mitra e o Solidéu

 

Mitrífero: Acólito que “zela” pela mitra.

 

Nave – espaço interno da Igreja onde fica a assembléia dos fiéis.

 

Naveta: Pequeno recipiente com tampa em que é colocado o incenso a ser usado nas celebrações. Tem o formato de um pequeno navio. 

 

Óleos Santos: Óleos abençoados pelo Bispo na Quinta-feira Santa, usado para ungir os fiéis em diversas cerimônias.

 

Oratório: Pequena caixa de vidro ou madeira que serve para pôr a imagem de santo.

 

Ostensório ou Custódia: Objeto utilizado para expor (ostentar) o Santíssimo Sacramento nas adorações, procissões, e bênçãos com o Santíssimo. 

 

Pala: É uma peça quadrada, como um cartão de papel revestido de linho branco e, portanto, é uma peça dura. Serve para cobrir o cálice com vinho, desde o ofertório até a comunhão. Mesmo antes e depois da missa a pala está sempre sobre o cálice.

 

Partículas: é outro nome que se dá as hóstias pequenas.

 

Patena: é um recipiente em forma de prato pequeno, onde se põe o pão que vai ser consagrado.

 

Pluvial: é o mesmo que capa.

 

Presbitério: significa o conjunto dos presbíteros de uma diocese, e o 

lugar da igreja onde estão o altar, o ambão e a cadeira presidental.

 

Presbítero: é o colaborador mais direto do bispo, e aquele que mais habitualmente preside às celebrações litúrgicas. Também se chama padre ou sacerdote.

 

Púlpito: Tipo de mesa da Palavra, com uma pequena escada para subir até ela e com uma pequena cerca ao seu redor, usada antigamente, para proclamar a Palavra de Deus.

 

Sacrário ou Tabernáculo: Pequeno cofre sagrado. “Tabernáculo é uma palavra de origem latina que quer dizer ‘tenda da campanha’. Trata-se de uma pequena tenda solidamente fechada, que se situa ao centro ou ao lado do altar. 

 

Sacristia: é a sala da igreja onde se guarda tudo o que é preciso para a liturgia e onde os ministros vestem as vestes litúrgicas antes de começar a celebração.

 

Sanguíneo: É uma toalhinha comprida, semelhante a um lenço branco dobrado em um único sentido. Serve para enxugar o cálice e outros objetos litúrgicos usados nas celebrações. 

 

Santa Reserva: Eucaristia guardada no sacrário. 

 

Sobrepeliz: Veste branca usada sobre a batina para substituir a alva. Utilizada em procissões e na celebração de alguns sacramentos.

 

Tapiz: Tapete vermelho usado em casamentos.

 

Teca: Pequena caixa redonda com tampa, geralmente de metal para levar a comunhão aos doentes. 

 

Túnica ou alva: Veste litúrgica usa pelos ministros ordenados. A túnica em geral é branca, mas pode também ser de outras cores.

 

Turibeiro: Porta-turíbulo, apoio que segura o turíbulo e a naveta.

 

Turíbulo: Vaso de metal que fica pendurado em correntes, que serve para colocar brasa para queimar incenso nas celebrações.

 

Turiferário: é o acolito que leva o turibulo durante as procissões.

 

Vasos dos Santos óleos: são os recipientes em que se guardam os santos óleos da Crisma, dos catecúmenos e dos enfermos.

 

Véu de ombros ou véu umeral: Usado pelo sacerdote ou diácono na bênção com o Santíssimo e nas procissões para levar o ostensório.

 

Véu do Cálice: Pano utilizado para cobrir o cálice. 

 

Véu do Cibório: Capinha de renda branda que cobre a âmbula. É um sinal de respeito para com a Eucaristia.