FUNÇÕES DOS ACÓLITOS E COROINHAS NA MISSA PRESIDIDA PELO BISPO

(Os números correspondem ao Cerimonial dos Bispos com adaptações para nossa realidade)

 

RITOS INICIAIS

 

127. Estando todos preparados, aproxima-se o acólito turiferário (e o naveteiro com a naveta), o Bispo impõe o incenso no turíbulo e benze-o fazendo sobre ele o sinal da cruz. O Bispo recebe do acólito cerimonial o báculo. Um dos acólitos toma o Evangeliário, e leva-o com reverência, fechado, na procissão de entrada.

 

PROCISSÃO DE ENTRADA

 

128. Enquanto se executa o canto de entrada, faz-se a procissão da sacristia para o presbitério, assim organizada:

 

- turiferário com o turibulo aceso acompanhado do naveteiro com a naveta

 

- a cruz, com a imagem do Crucificado voltada para a frente, no meio de pelo menos dois Coroinhas com castiçais e velas acesas.

 

- leitores, coroinhas, acólitos.

 

- Mescs

 

- acólito com o Evangeliário

 

- presbíteros concelebrantes

 

- o Bispo que avança sozinho, de mitra, levando o báculo pastoral na mão esquerda e abençoando com a mão direita.

 

- um pouco atrás do Bispo, dois coroinhas que se ocuparão da mitra e do báculo acompanhados do acólito cerimonial.

 

131. O Bispo, ao chegar junto do presbitério, entrega o báculo ao acólito cerimonial que passa para o coroinha escalado.  Em seguida, recebe do Bispo a Mitra e entrega ao outro coroinha escalado.

O Bispo faz inclinação profunda ao altar. O acólito e os dois coroinhas com o Báculo e a Mitra, posicionam-se atrás do bispo. Os coroinhas não fazem reverência por transportarem alfaias. O acólito faz reverência profunda ao altar juntamente com o bispo. Em seguida, o bispo sobe ao altar e beija-o.

Os coroinhas com o báculo e a Mitra ocupam seus bancos, enquanto o acólito cerimonial permanece à esquerda e um pouco atrás do Bispo, para acompanhá-lo na incensação.

O turiferário e o naveteiro se apresentam ao Bispo que, se necessário irá impor mais incenso no turíbulo.

Em seguida, incensa o altar e a cruz acompanhado do acólito cerimonial.

O acólito cerimonial fica ao lado esquerdo da cadeira do Bispo, junto à porta da sacristia. Os coroinhas com a Mitra e o Báculo sentam-se nos bancos após os ministros ordenados..

 

136. Após a oração do dia, o bispo senta-se. O acólito cerimonial entrega-lhe a Mitra.

 

 LITURGIA DA PALAVRA

 

140. Começado o Aleluia, todos se levantam, exceto o Bispo.

O turiferário aproxima-se com o naveteiro e dois coroinhas com castiçais e velas acesas que irão acompanhar a procissão do evangeliário. O Bispo impõe e benze o incenso, sem dizer nada.

O que irá proclamar o evangelho, inclina-se profundamente diante do Bispo e pede a bênção em voz baixa, ...

Em seguida toma o evangeliário sobre o altar e acompanhado dos coroinhas com velas acesas e sendo precedido pelo turiferário e naveteiro, inicia a procissão do altar até o ambão.

O Bispo retira a Mitra e a entrega ao acólito cerimonial que a passa para o coroinha escalado.

Após o anúncio do evangelho, o turiferário apresenta o turíbulo ao diácono ou presbítero para incensar o livro dos evangelhos.

 

141. Após a proclamação do evangelho, o turiferário, o naveteiro e os coroinhas com castiçais deslocam-se para a sacristia, lá permanecendo em silêncio.

Em nossa paróquia o evangeliário, após a proclamação do evangelho permanecerá no ambão.

 

142. Todos se sentam e o Bispo, de preferência de Mitra e Báculo, profere a homilia.

Portanto, o acólito cerimonial apresente ao Bispo a Mitra e o Báculo.

 

143. Para a profissão de fé, CREIO EM DEUS..., o acólito cerimonial recebe do bispo a Mitra e o Báculo e os entrega aos coroinhas escalados. Estando todos em pé, recita-se o Símbolo, segundo as rubricas. 

 

LITURGIA EUCARÍSTICA

 

145. Após as preces dos fiéis, o Bispo senta-se. O acólito cerimonial entrega-lhe a Mitra.

 

146. Uma vez preparado o altar, o Bispo entrega a Mitra ao acólito cerimonial e vai para o altar, onde apresenta as oferendas conforme o rito.

 

148. Depois, o Bispo, inclinado no centro do altar, diz em voz baixa: De coração contrito e humilde...

 

149. A seguir, o turiferário e o naveteiro aproximam-se do bispo, e este impõe o incenso e o benze; depois, o bispo recebe o turíbulo das mãos do turiferário e incensa as oblatas, o altar e a cruz, como no princípio da missa, acompanhado do açólito cerimonial.

Em seguida o acólito turiferário, incensa o bispo, os concelebrantes e o povo.

Enquanto o acólito incensa o povo, os coroinhas com o jarro de água e a bacia e a toalha aproximam-se do altar.

 

151. Virando-se para o povo, o Bispo, estende e junta as mãos, e convida o povo a orar, dizendo: Orai, irmãos.

 

152. Depois da resposta receba o Senhor, o Bispo estende as mãos e canta ou recita a oração sobre as oferendas. No fim, o povo aclama: Amém.

 

153. Em seguida, o acólito cerimonial tira o solidéu ao bispo e entrega-o ao coroinha escalado. Os concelebrantes aproximam-se do altar.

 

155. Desde a epiclese até à elevação do cálice, o acólito cerimonial permanece ajoelhado.

 

166. Após distribuir a comunhão o bispo colocará o cibório sobre o altar e retornará à sua cadeira. 

O acólito cerimonial deverá entregar-lhe o Solideu. O bispo permanecerá com o solideu até a bênção.

 

RITOS FINAIS

 

169. Após os avisos e homenagens, o acólito cerimonial entrega ao bispo a Mitra. Enquanto o bispo profere as primeiras invocações ou a prece, mantém as mãos estendidas sobre o povo, e todos respondem: Amém. Depois, recebe o Báculo, e diz: Abençoe-vos o Deus todo-poderoso...

Se o bispo retornar para a sacristia, organiza-se a procissão como na entrada. Caso o bispo permaneça no presbitério acolhendo os fiéis, a equipe retira-se em procissão levando junto os coroinhas que serviram ao bispo e o acólito cerimonial.

Embora seja função diaconal, o Evangeliário poderá ser transportado por um Acólito, mesmo com a presença do diácono na celebração.

FUNÇÕES DOS COROINHAS E ACÓLITOS NA MISSA PRESIDIDA PELO PRESBÍTERO. 

 

LITURGIA DA PALAVRA

 

Ritos Iniciais

 

Entrada: Turiferário junto com o naveteiro apresentam o turíbulo e a naveta ao presidente da celebração para colocar incenso.

 

Procissão

Turiferário e naveteiro, Cruz, Círio, Coroinhas e Acólitos, Ministros Extraordinários, Evangeliário e Clero.

- A cruz processional e o Evangeliário serão transportados pelos acólitos. 

- O Círio, em função do seu tamanho e peso, quando entrar em procissão, convém ser transportado pelos Ministros Extraordinários da Comunhão.

 

Obs: Quem transporta a cruz, o Círio ou o Evangeliário não faz Vênia ao altar. Pára junto ao primeiro degrau do presbitério marcando o fim da marcha e, em seguida sobe para o seu lugar.

 

- O turiferário e o naveteiro ficam entre o altar e o ambão enquanto o presidente da celebração e o diácono beijam o altar. Em seguida, apresenta ao presidente da celebração o turíbulo para imposição do incenso, afastando-se para permitir que o sacerdote circunde o altar incensando.

- Recebe o turíbulo e juntamente com o naveteiro, dirige-se para a sacristia, lá permanecendo até a proclamação do evangelho.

 

O acólito (librífero) fica à esquerda do presidente da celebração, após os ministros ordenados e os coroinhas se posicionam junto à credência.

 

Sinal da Cruz e Saudação do presidente da celebração.

 

Ato Penitencial: Quando a liturgia previr o ato penitencial por aspersão, durante a introdução do rito, os coroinhas apresentam ao presidente da celebração a caldeirinha com água e o pires com sal e a colher para mistura.

O Librífero apresenta o missal para a oração da bênção (pag 1001)

 

Gloria: 

 

Oração do Dia (oração coleta)

Acólito Librífero, apresenta o Missal ao presidente da celebração, aberto na oração do dia, EXCETO SE O presidente da celebração ESTIVER USANDO O PULPITO.

 

Liturgia da Palavra: 

O Acólito deve auxiliar, se necessário, os leitores quanto ao uso do microfone. Estar atento quanto à pagina das leituras.

- Os acólitos devem estar preparados para uma eventual necessidade de proclamar a leitura, caso faltem leitores escalados.

- Quando o evangeliário entrar na procissão de entrada, após a segunda leitura, o acólito (ou Mesc) retira o lecionário do ambão levando-o para a sacristia, EXCETO se no ambão estiver colocado a caixa para o lecionário.

- Ao iniciar o canto do aleluia, o turiferário e o naveteiro se apresentam ao presidente da celebração para impor incenso.

- Em seguida acompanham o diácono até o ambão, permanecendo à sua direita e um pouco atrás.

- Após o anúncio do evangelho, entrega o turíbulo para o diácono incensar o evangeliário.

- Recebe de volta o turíbulo permanecendo um pouco atrás do diácono até o final da proclamação do evangelho. Em seguida, dirige-se para a sacristia, lá permanecendo até a apresentação das oferendas.

 

Homilia:

Evite-se movimentos ou conversas paralelas que possam distrair a atenção dos fiéis, ou mesmo dos ministros ordenados.

 

Creio: 

 

Preces: 

- Os acólitos devem estar preparados para ajudar a equipe de celebração anunciando as proposições para o acolhimento da assembléia.

 

 

LITURGIA EUCARÍSTICA

 

Preparação das Oferendas:

 

O Povo leva até o altar as oferendas: Pão, Vinho e Água.

- O Mesc abre o corporal sobre o altar, colocando sobre ele a patena e deixando fora dele o cálice e o sanguineo.

- Um coroinha leva o suporte do microfone e outro leva o suporte do missal colocando-os sobre o altar.

- O Acólito coloca o missal sobre o suporte, fora do corporal, abrindo-o na Oração sobre as oferendas. Adapta o microfone no pedestal e o coloca ao lado do missal, fora do corporal.

 

Em seguida o Mesc e o acólito se posicionam junto ao presidente da celebração à frente do altar para receber as oferendas trazidas pelo povo. O Mesc leva os cibórios para o altar enquanto o acólito recebe das mãos do presidente da celebração a galheta e distribui o vinho e a água para os coroinhas servirem. 

 

Após a oração de apresentação, as oferendas, a cruz, o presidente da celebração e o povo serão incensados.

 

O acólito que serve o altar e os coroinhas afastam-se enquanto o turiferário e o naveteiro se aproximam do presidente da celebração que coloca o incenso no turíbulo e acompanhado do diácono incensa as oferendas e circunda o altar.

 

O diácono (ou o turiferário) incensa o presidente da celebração, os concelebrantes e o povo.

- Os Coroinhas aproximam-se trazendo da credência a bacia, a água e a toalha para purificação das mãos do presidente da celebração.

- Se necessário o acólito pode auxiliar o presidente da celebração segurando o microfone. 

- O turiferário e o naveteiro retornam para a sacristia até o término do canto do Santo quando, acompanhados de coroinhas com velas acesas entrarão pelo corredor central posicionando-se junto ao presbitério para incensar o Corpo e o Sangue do Senhor nas elevações que acontecem.

- Após o “Eis o mistério da fé” retornam para a sacristia. 

 

Prefácio: começo da Oração Eucarística ate o momento do Santo.

 

Oração Eucarística

 

Durante a Oração eucarística, todos os coroinhas devem se posicionar à frente do altar ajoelhando-se no primeiro degrau do presbitério.

- Antes da Epiclese, quando o diácono ou o presidente da celebração descobrir o cálice, o Coroinha que estiver na função de sineteiro, toca levemente o sino, indicando que é momento de ajoelhar-se.

- Durante a Narrativa, quando o presidente da celebração mostra para o povo a hóstia consagrada, assim como o cálice com o vinho consagrado, toca-se o gongo e o turiferário, ajoelhado incensa a hóstia e depois o cálice com o sangue do Senhor com três ductos de 2 ictos, direcionados sempre à frente e não centro, esquerda e direita. 

- Antes do anuncio “Eis o mistério da fé”, quando o padre levantar-se após a genuflexão, o sineteiro toca o sino avisando que é hora de levantar-se.

Rito de Comunhão:

 

Pai Nosso: 

 

Abraço da Paz: Ao cumprimentar a pessoa que está ao meu lado estou cumprimentando a Igreja que ele (a) representa.

 

Cordeiro de Deus: 

 

- Após a apresentação: Eis o cordeiro de Deus... os acólitos retiram do altar o microfone e seu suporte.

- O Missal deve ser retirado quando o padre e os ministros se dirigirem aos fiéis para distribuir a eucaristia. 

- O missal deve ser colocado no púlpito à frente da Sedia (cadeira do presidente da celebração) fechado. Não sendo usado o púlpito, o acólito librífero leva o missal para sua cadeira, aguardando o momento de apresentá-lo ao presidente da celebração para a oração pós-comunhão.

- O microfone, desligado deve ser colocado na cadeira do presidente da celebração.

- O suporte do microfone e do missal devem ser colocados no chão, ao lado da cadeira do presidente da celebração

 

Obs: Cuidado ao transportar o Missal para não desmarcar as páginas.

 

Antífona da Comunhão: Oração preparatória para a Comunhão Eucarística.

Rezada pelo presidente da celebração quando não há canto de comunhão. Por este motivo, o missal não deve ser retirado do altar antes do padre se dirigir aos fiéis para distribuir a comunhão.

 

Comunhão

 

Pós-Comunhão: Cabe aos Mescs a retirada dos vasos sagrados após a purificação, levando-os para a credência.

 

Oração Pós-Comunhão: O acólito librifero apresenta ao presidente da celebração o Missal aberto na Oração Pós-comunhão. (EXCETO SE O PADRE ESTIVER USANDO O PULPITO)

 

Ritos Finais

 

Para a bênção somente os ministros ordenados permanecem no presbitério. A equipe de celebração deve se posicionar no corredor central, em duas filas, de frente para o altar, EXCETO, nos casos de bênçãos solenes em que o presidente da celebração não esteja usando o púlpito. Neste caso o acólito librífero permanecerá ao lado presidente da celebração com o missal.

Após a bênção, enquanto os ministros ordenados beijam o altar, o acólito librífero levando consigo o missal, desce para compor a procissão de saída.

Contato

© 2012 Todos os direitos reservados.