OS LIVROS LITÚRGICOS DA IGREJA 

A Igreja, há muito tempo, usa, em praticamente todos os seus atos de culto rituais e fórmulas para se "padronizarem" as palavras a serem ditas pelos padres e bispos neste e naquele momento de uma celebração. Destacamos também a questão de se selecionar alguns trechos da Palavra de Deus para facilitar a localização de textos que iluminam aquele momento celebrativo. Temos então, os chamados "livros litúrgicos" e os livros "extra litúrgicos", o qual apenas mencionaremos, sem aprofundar. Aqui vai a relação dos livros: 

 

Missal Romano: é, diríamos o livro litúrgico por excelência, porque é nele que temos toda a oração necessária para a celebração Eucarística (Missa). É um livro que jamais deveria ser substituído por qualquer folheto ou papel, a menos que a comunidade não o tenha. É um livro não somente do padre, mas de todo o povo, porque o que nele está contido é dirigido a toda a assembleia através do padre ou bispo. Os Acólitos e Coroinhas devem dominá-lo, para que saibam preparar e localizar, quando necessário, as orações que vão ser feitas na Missa. Teoricamente, ele só deveria ir para o altar na hora da preparação das oferendas, pois a função do altar é receber o sacrifício de Cristo (consagração ― sendo que este só ocorre na segunda parte da celebração) e não ser uma simples "mesa" donde o padre fica o tempo todo atrás dela durante a Missa. Por isso a importância na celebração de se ter um acólito que seja o "librifero", ou seja, aquele que vai levar o Missal para o padre fazer as orações, para não estar no altar na hora imprópria. 

 

Lecionário: é o livro da "lição", isto é, da Palavra de Deus. Não é a Bíblia completa. Nele, estão reunidos os textos que a Igreja selecionou ao longo do tempo, para serem ditas na Missa, de acordo com a ocasião que está sendo celebrada. Existe uma divisão dos lecionários, facilitando a organização da liturgia: 

 

ü Lecionário Dominical: usado nos domingos, nas festas litúrgicas que podem ser celebradas no domingo (por ex: Transfiguração do Senhor, Assunção de Nossa Senhora, Nossa Senhora Aparecida, etc.) e durante todo o Tríduo Pascal (Quinta, Sexta e Sábado Santo). É subdividido nos 3 anos litúrgicos da Igreja (A, B e C). 

 

ü Lecionário Semanal: usado nas missas de dias de semana, de todo o ano litúrgico, exceto para as festas, solenidades e memórias de santos que têm leituras próprias. A 1ª leitura e o salmo responsorial durante a semana, no Tempo Comum, são divididos em "ano par" e "ano ímpar". 

 

ü Lecionário "III" para missas dos santos, diversas necessidades e votivas: usado quando há celebrações de santos, festas, algumas solenidades, quando que se quer celebrar uma "missa votiva" em alguma intenção especial, ou ainda para celebrar missas com textos que falem de um determinado aspecto da vida espiritual.

 

ü Lecionário do Pontifical Romano: usado nas celebrações de Crisma, ordenações, profissões religiosas, dedicação de igrejas ou altares, consagração das virgens, instituição de Leitores e Acólitos e bênção de abades e abadessas. 

 

Evangeliário: é o livro que contém somente os Evangelhos para as missas e somente para missas dominicais e algumas festas e solenidades. Como o Evangelho e o auge da Liturgia da Palavra, o Evangeliário e um livro maior, com folhas mais grossas, letras maiores e mais “enfeitados” que o Lecionário, justamente para ressaltar a importância dele na vida dos cristãos. 

 

Pontifical Romano: é o livro que contém as orações para os rituais que somente o Bispo pode presidir, como a Crisma, ordenação de Bispos, Padres e Diáconos, dedicação de igreja e altar, profissões religiosas, consagração das virgens, instituição de Leitor e Acólito e bênção de abade e abadessa (estes dois últimos são os assim chamados superiores dos mosteiros). 

 

Rituais em geral: são os livros que trazem as celebrações de alguns sacramentos e sacramentais e outras celebrações que podem ser feitas também fora da Missa:

 

ü Ritual da iniciação cristã: contém todos os passos e orações para a acolhida dos catecúmenos (os que se preparam para receber os sacramentos da iniciação cristã.) na Igreja. 

 

ü Ritual do Batismo: traz as orações para serem feitas para uma celebração de Batismo, tanto de crianças quanto de adultos. 

 

ü Ritual do matrimônio: traz as orações a serem feitas na celebração de um casamento, tanto dentro como fora da missa.

 

ü Ritual da unção dos enfermos e sua assistência pastoral: traz as orações a serem feitas para a administração do sacramento da Unção dos Enfermos e outras orientações quando da visita de um doente pelo sacerdote. 

 

ü Ritual da penitência: traz algumas opções para celebrar o sacramento da penitência, nas diversas circunstâncias.

 

ü Ritual de bênçãos: traz fórmulas de bênçãos e celebrações de bênção de lugares, objetos, pessoas, etc.

 

ü Ritual de exorcismos e outras práticas: traz fórmulas para se fazer orações de exorcismo ou outras relacionadas à presença do mal numa pessoa.

 

Cerimonial dos bispos: apesar de não ser considerado um livro litúrgico, no sentido exato da palavra, traz as indicações "padrões" para conduzir uma determinada cerimônia litúrgica, especialmente quando é o bispo quem a preside. É como se classificasse esse livro como o "livro de etiqueta" da Igreja dentro da liturgia. Para os iniciantes em liturgia, pode parecer um pouco pesado a leitura do mesmo, visto o vocabulário bastante técnico, com muitos termos próprios da liturgia. Para grupos de acólitos e coroinhas, é recomendável o estudo deste livro, principalmente na organização de uma Missa que foge um pouco das missas "rotineiras" (Corpus Christi, Tríduo Pascal, visita pastoral, ordenações, etc.). 

É bom lembrar que às vezes, os rituais podem estar editados em livros separados (por ex.: somente o rito de ordenação, o rito de dedicação de igreja e de altar, o rito do matrimônio), mas o padrão de divisão da Igreja Romana é este.

 

Contato

© 2012 Todos os direitos reservados.