Natal

23/09/2012 06:23

Antes de comemorarmos o Natal, passamos por uma verdadeira preparação, um tempo de conversão, tempo especial para revermos como anda nossa vida, se durante o ano que passou Jesus esteve ou não presente em nossos pensamentos, sentimentos, enfim, se as nossas atitudes foram cheias do amor de Deus. Este é um tempo forte de conversão.

 

O Natal comemorado com alegria, pois é a festa do nascimento do Salvador. Nesse período destacamos a Epifania do Senhor, que é celebrada no Domingo seguinte ao natal e dura 3 semanas, sendo uma festa que lembra a manifestação de Jesus como Filho de Deus. No ciclo de Natal também são celebradas as festas da da Apresentação do Senhor no dia 02 de fevereiro, da Sagrada Família, de Santa Maria Mãe de Deus e do Batismo de Jesus.



 

 

A ESPIRITUALIDADE DO NATAL

A Espiritualidade da Manjedoura é, na verdade, um grande convite: Não perceber na vida um outro sentido senão fazer de tudo para corresponder tamanho amor. O mistério da encarnação de Jesus é o início de um caminho concreto, palpável, inserido na história humana, iniciado por Deus para entrar em comunhão de amor com o ser humano.

O despojamento do Cristo, tomando a condição de servo (Fl 2,7), quer nos ajudar a celebrar bem o natal. Na criança da manjedoura está a manifestação plena do Amor Divino pela humanidade e, ao mesmo tempo, a expressão do amor humano por Deus. Eis a Copiosa Redenção acontecendo desde o primeiro instante: o Sim de Deus se encontra com o Sim do homem.

O Presépio (a manjedoura) juntamente com a Cruz e o Santíssimo Sacramento revelam o aniquilamento (Kénosis) de Cristo que começou na encarnação e não termina jamais, porque continua em cada Eucaristia.


 

A ESTRELA DA NOITE DE NATAL

 

As estrelas sempre foram guias confiáveis do homem na sua trajetória pelo mundo. Durante séculos elas foram a segurança do homem no seu caminho na Terra. Os homens passaram pêlos caminhos escuros da noite e durante milhares de anos as estrelas mostraram-lhes o caminho. Viajantes e navegantes, enquanto ficaram com os olhos fixos nas estrelas, foram conduzidos com firmeza e segurança. O homem foi capaz de seguir um caminho seguro, porque, em certo sentido, ele fez aliança com uma realidade maior.

A estrela de Belém de outrora conduziu os sábios e todos que procuravam com toda a sinceridade a história mais vislumbrante que conhecemos até agora. A história de uma mulher, jovem e muito graciosa, a mais bela de toda a terra, de uma criancinha que sustenta a fé, a esperança e o amor de toda humanidade, dos pastores do campo, dos anjos e seus cânticos, dos reis e outros. É entoado, então, o cântico mais bonito de todos os tempos, e quando os homens o cantam, até os olhos de Deus se enchem de lágrimas: Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens de boa vontade.


A estrela de Belém hoje é invisível, mas ela mostrou uma nova luz, a verdadeira luz, Jesus que nasceu em Belém. Ali a estrela desapareceu porque uma outra luz se sobrepôs à sua, a luz de Jesus Cristo; ali a sua missão terminou, mostrando a verdadeira luz. Na noite de Natal recebemos aquele que diz que é "a luz do mundo". Desde aquela noite, Jesus é a bússola de todos os navegantes do mundo de todos os tempos. Ele brilha sobre todos os tempos e distâncias, sobre a vida e a morte.

Quando permitimos que esta estrela nos guie, temos consciência de que a terra é o caminho temporário que nos leva à morada definitiva da luz divina. Sabemos, então, que nunca estamos sós como parece às vezes, sabemos que os nossos falecidos não estão tão longe. Esta luz nos mostra que a vontade de Deus para nos salvar e a luz de sua misericórdia são o caminho que nos mostram a pátria onde um dia estaremos juntos para sempre no amor. A estrela nos leva até o fundamento da nossa fé.

A criança que nasceu na noite de Natal é Deus conosco, que fez morada entre nós. A verdadeira alegria do Natal dos cristãos é a consciência de que cada opção a favor ou contra Deus, a opção entre o bem e o mal, entre a reconciliação e o ódio, a vida e a morte é a nossa participação e a nossa missão e responsabilidade como pequenas estrelinhas, que mostram hoje o caminho do amor, da fraternidade e da solidariedade rumo a Deus.


 

 

O MISTÉRIO LITURGICO DO TEMPO DO NATAL

 

No tempo de Natal celebramos o nascimento e a manifestação de Jesus Cristo, luz do mundo, que vem para iluminar as nossas trevas. Na solenidade do Natal o nascimento do Filho de Deus no meio de nós,"na humildade da natureza humana"e na pobreza da gruta de Belém, nos traz o dom de uma vida nova e divina.

A liturgia do domingo depois do Natal nos lembra que o amor com que Deus Pai amou o mundo- até mandar seu próprio Filho para salvá-lo - manifesta-se e se reflete no amor que deve reinar em toda família cristã.

A oitava do Natal celebra Maria, Mãe de Deus, e ao mesmo tempo glorifica o nome de Jesus; neste nome, que quer dizer "Deus salva", se resume todo o significado do mistério da Encarnação.

No segundo domingo depois do Natal, tomamos consciência do sentido pleno do mistério da Encarnação: o nascimento do Filho de Deus,que vem viver a condição humana, inaugura o nascimento de todos os homens para a vida de "filhos de Deus" ; esta é a vida que Jesus nos deu no seu Natal.

Na solenidade da Epifania a luz de Cristo brilha e se manifesta aos olhos de todos. Os magos, que seguem o "sinal"da estrela, representam a humanidade inteira, chamada a reunir-se em torno de Jesus na fé.

O domingo depois da Epifania celebra particularmente o Batismo de Jesus: a voz do Pai e a força do Espírito Santo, que descem do céu, o investem oficialmente de sua missão de Salvador, analogamente, cada um de nós, no batismo,se torna participante da mesma missão.

Celebrar a eucaristia neste período de Natal, significa entrar em um novo estilo de vida: a vida dos filhos de Deus e participar sacramentalmente do"admirável comércio" que se realizou na pessoa de Cristo entre a natureza divina e a humana. A assembléia eucarística é sinal da unidade de todos os homens na única fé em Cristo Jesus e na vida nova que dele recebem.

 

SÍNTESE

 

Início

25 de dezembro

Término

Na festa do Batismo de Jesus

Espiritualidade

Fé, alegria e acolhimento

Ensinamento

O filho de Deus se fez Homem

Cor

Branca

 

Voltar

Contato

© 2012 Todos os direitos reservados.

Crie um site grátisWebnode